Análise Neogrid (NGRD3)

Escrevo hoje em 24/12/2020 sobre a Neogrid, com dados do 3T20 (quando a IPO não tinha acontecido).

História, Contexto de operação e introdução

A Neogrid é uma empresa de Software as a Service (SaaS), data e Tecnologia que busca resolver os desafios da cadeia de suprimentos global, ao conectar indústria, distribuidor e varejista a Neogrid integra e sincroniza suas operações.

Segundo o FRE 2020: “A Neogrid, através de sua ampla rede e plataforma, coloca as empresas no ritmo do consumidor de forma que todos que fazem parte deste ecossistema sejam beneficiados com redução de investimentos nos estoques, liberando assim o capital de giro.”

“Num mundo onde os produtos viraram commodities e preços não são mais diferenciais, o giro de estoque passa a ser a vantagem competitiva decisiva.”

Miguel Abuhab CEO

A empresa foi fundada em 1999 quando o empresário Miguel Abuhab entendeu que, com o advento da internet, seria possível resolver um grande problema das indústrias, monitorar o estoque nas empresas clientes para evitar faltas e excessos de produtos nos estoques, aumentando assim o giro do estoque e diminuindo a necessidade de capital de giro.

O próximo passo então seria integrar diferentes sistemas de ERPs para garantir o fluxo constante de informações e produtos na cadeia de suprimentos.

Desde então a Neogrid seguiu implementando seus softwares e fazendo aquisições de outras empresas do mesmo ramo.

Rede Neogrid

Segundo o FRE 2020 a rede Neogrid conta com 37 mil empresas participantes da cadeia de suprimentos conectadas com a plataforma, qualquer empresa pode participar, deste o produtor de matéria-prima até o varejista, inclusive governos e bancos. [1]

Ainda segundo o FRE: “A rede Neogrid conta atualmente com quase 37 mil de indústrias participantes, mais de 5 mil distribuidores e mais de 150 grandes redes varejistas (que representam milhares de lojas físicas), distribuídos em todo o país e internacionalmente. Esta rede nos abastece com mais de 1 petabytes de dados brutos e 100 terabytes de dados analíticos mensalmente, e gera milhões de interconexões entre parceiros de negócio, permitindo infinitas possibilidades de ganhos para todas as partes envolvidas neste ecossistema.” [1]

Estratégia

A estratégia da empresa se subdivide em alguns pontos, sendo eles: [1]

Rede Neogrid

A estratégia da empresa no curto prazo (2021) é continuar desenvolvendo o produto de modo a incrementar novas funções e melhorar o portfólio, no longo prazo é buscar novos clientes em setores na qual a Neogrid tem potencial de atuar, como saúde, agro e serviços financeiros.

Desta forma, continuando a expansão da rede.

Aquisições

O objetivo é buscar oportunidades que:

  • Ampliem a base de clientes;
  • Aumentem a receita recorrente;
  • Forneçam novos produtos e serviços complementares;
  • Criem ganhos de sinergia relevantes.

Sendo os principais mercados de interesse: automotivo, saúde e financeiro. Com soluções focadas em Data Analysis e Machine Leraning.

Expansão internacional

Como a empresa já atende grandes redes com atuação internacional, é interessante aplicar o conhecimento acumulado com isso em outras redes de operação internacional, aumentando a base de clientes no exterior.

Indicadores

Para termos uma opinião melhor sobre os indicadores da Neogrid, trouxe uma comparação do Statusinvest com empresas similares (em ramos parecidos -> Software).

Comparação de Ações TOTS3, NGRD3, SQIA3, LINX3.
Comparação de Ações TOTS3, NGRD3, SQIA3, LINX3.

Na comparação está inclusa TOTVS (TOTS3) que produz softwares de ERP para empresas, Sinqia (SQIA3), que produz softwares para o setor financeiro, e Linx (LINX3), que produz softwares para o setor de varejo.

Acredito que podemos ver números parecidos entre as empresas, todas elas têm um P/L muito mais alto que a média das empresas do IBOV, a média dos bancos está em torno de 7x enquanto nas empresas de tecnologia o menor número é de 63x, a Linx em 2019 estava negociada a 151x.

O P/VP é outro indicador interessante, mostra que nestas empresas estamos pagando (em média) 5,76x o valor patrimonial da empresa (VPA), pois estas empresas não necessitam de uma estrutura de capital muito grande, uma indústria por exemplo precisa de muitas máquinas, fazendo com que a maior parte do ativo esteja no imobilizado.

E ainda sobre o P/VP, a maior parte do ativo destas empresas está no intangível, fora os segredos comerciais e softwares desenvolvidos que não podem ser patenteados, mas que incorreram despesas para seu desenvolvimento, portanto não estão lançados no ativo.

As margens brutas são bem similares entre as empresas, a Neogrid teve a 2º maior margem líquida, logo atrás da TOTVS.

O indicador de endividamento da Neogrid apresenta-se como o maior entre as empresas do setor listadas em bolsa, porém são números pré-IPO, que deve se reduzir assim que sair o resultado do 4T20.

Algumas diferenças acontecem, pois apesar de todas elas serem empresas de Software, elas estão incluídas em mercados diferentes, e estamos no meio da pandemia de Covid-19, na qual algumas empresas são mais afetadas que outras.

Conclusão

Minha opinião é que a receita, e consequentemente o lucro da Neogrid continuará a aumentar, o IPO da empresa captou 485 milhões de reais, sendo que 337,5 milhões vai direto para o caixa da empresa.

Isso significa que o Ativo total consolidado que era de 335,4 milhões passaria para 672,9 milhões. [2]

A empresa pretende direcionar 80% da grana captada para fusões e aquisições de empresas estratégicas, e 20% para gastos com pesquisa e desenvolvimento.

Neste sentido, com 337 milhões para investir, é de se esperar que a empresa cresça, fora os resultados que estão sendo reinvestidos.

Nos 9M20, em meio a pandemia de COVID-19 a empresa destinou 13% da receita líquida para pesquisa e desenvolvimento, este número havia sido de 15% nos 9M20 – o que reforça minha tese.

Eu mesmo comprei ações da Neogrid como uma aposta para longo prazo.

Como investir em Startups

Segundo o Startse, “Startup é o período inicial, intenso e temporário de um novo empreendimento que – provavelmente utilizando tecnologia no produto final ou em algum processo relevante – está buscando validar um modelo de negócios inovador, repetível e escalável, sob condições de extrema incerteza.”

Startse é uma empresa especializada em Startups, ela provê tecnologias e serviços para informar, educar e conectar as pessoas, para assim estarem preparadas a desenvolver e realizar negócios da Nova Economia. a Captable é a plataforma de investimentos da Startse.

O investimento em Startups é um investimento de ALTO RISCO, porém quanto maior o risco maior é o retorno. Ao investir através da plataforma captable é emitido um título – NOTA CONVERSÍVEL EM PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA, neste sistema o investimento é como um empréstimo, e como o nome já diz, o empréstimo pode ser convertido em participação societária, desta forma o investidor não entra no capital social da empresa, ou seja, em caso de falência o investidor não será responsável pelo passivo remanescente.

Além do alto risco associado a probabilidade de perder todo o valor investido, existe ainda a falta de liquidez, portanto, não é como ações da B3 em que você vende facilmente, trata-se de um título que terá de ser vendido a outra pessoa pelo preço que ela estiver disposta a pagar.

Possíveis finais de um investimento em Startup
Possíveis finais de um investimento em Startup

Porém se a empresa for adquirida por outra empresa, o ganho pode ser altissímo, ou não – esse é o risco, é um investimento que poderá trazer altos ganhos, ou a perca de todo o capital investido.

De qualquer forma, eu acho uma ótima oportunidade para diversificar uma carteira de investimentos, a CVM proibe que uma pessoa física invista mais de 10 mil reais nesse tipo de investimento a não ser que você seja um investidor qualificado (quem tem mais de R$ 1 milhão investido).

Veja os investimentos disponíveis na plataforma da Captable AQUI

O investimento mínimo é costuma ser de 500 a 1200 reais, dependendo da empresa.

Análise Cielo (CIEL3) – 3T20

Escrevo hoje em 20/12/2020 sobre a empresa Cielo, os dados mais recentes que usei nesta análise são os dados do 3º trimestre de 2020.

Breve histórico e contexto operacional

Segundo o FRE, a Cielo atua no setor de captura e processamento de transações originadas por cartões de diversas bandeiras, possuindo extensa cobertura nacional, com 1,6 milhão de estabelecimentos comerciais ativos (ref. 31/12/2019), tornando a empresa líder no setor de cartões de pagamento, não só no Brasil como na América Latina, possuindo uma participação de 41% no mercado brasileiro.

Guerra das maquininhas

A Cielo estava operando anteriormente numa situação boa, quando adquirir uma maquininha de cartão da Cielo representava para o comerciante um aluguel mensal para toda a vida, mais o pagamento de taxas por transação, taxas altas, inclusive.

A revolução no setor aconteceu de forma muito rápida, ao ponto dos jornais chamarem de guerra das maquininhas, hoje em dia as empresas neste setor oferecem aos comerciantes taxas de transação cada vez menores, com maquininhas cada vez mais baratas e sem o aluguel mensal, neste sentido, observamos um setor com extrema competição.

A tendência geral para o futuro é que este setor se torne ainda mais competitivo e com margens cada vez mais baixas, em virtude da entrada de novos concorrentes (meios de pagamento) que não usam maquininhas, como os pagamentos via QR Code (mercado pago, interpag e outros) e o advento do PIX.

gráfico competição no mercado de maquininhas (meios de pagamento)
Competição no mercado de maquininhas, FRE 2020 p. 119

Conforme observa-se, apesar do aumento de volume capturado de 2017 para 2019 no setor de maquininhas, o Marketshare da Cielo caiu de 48,1% para 40%, sendo que tal número já foi de 53% em 2015 (FRE 2018 p. 90) e 57% em 2011. [1]

Análise de indicadores

Desta forma, como se comportou a receita anual da empresa e suas respectivas margens de lucro bruto e lucro líquido?

Receita e lucro líqudo da Cielo (ao ano), fonte: Statusinvest
Gráfico da margem bruta da Cielo
Margem Bruta da Cielo (ao ano), fonte: Statusinvest
gráfico de margem líquida da Cielo
Margem líquida da Cielo (ao ano), fonte: Statusinvest

Se temos a Cielo trabalhando com margens cada vez mais baixas e com uma receita que não consegue superar o pico de 2016, ou seja, que está estagnada, qual é a tendência? na minha opinião, o marketshare da Cielo seguirá em queda, a medida em que mais Players do mercado entram neste setor, porém a tendência futura ainda é muito incerta.

Manchete do jornal Infomoney sobre a opinião do Bradesco BBI em relação à Cielo.

Todos os players do mercado parecem estar dizendo a mesma coisa que eu, este é um dos motivos pelos quais eu não tenho ações da Cielo, hoje cotada a R$ 3,75 mas que em 2015 chegou a estar cotada a R$ 30,00

O que poderia levar algumas pessoas a comprarem ações da CIELO é a Heurística da Ancoragem, em finanças comportamentais, representa ancorar números externos numa tomada de decisão, por ela em 2015 estar cotada a R$ 30,00 as pessoas ancoram isso ao fato dela estar hoje cotada a R$ 3,75 e então compram a ação na vã esperança de que um dia ela esteja novamente cotada a R$ 30,00 – sendo que os anos dourados da empresa não estarão de volta, o mercado hoje em dia mudou para uma competição acirrada na qual a Cielo está lentamente perdendo.

Em quem o mercado está apostando

Uma breve olhada no gráfico do valor das ações Cielo de 2018 pra cá mostra que a empresa não está se movimentando pra cima, estando em R$ 24 em 2018 para R$ 3,75 – uma desvalorização de 84,42%

Já se olharmos um certo concorrente da Cielo, a Stone, cujas ações estão listadas na Bolsa NASDAQ nos EUA – estando cotada em US$ 31,09 em outubro de 2018, está hoje cotada a US$ 84,29 – uma valorização de 171% – para uma empresa que, segundo o FRE 2020 da Cielo, possui um marketshare de 8,5%

Dá pra ver que o mercado está apostando na Stone, que tem um valor de mercado 12 vezes maior que a Cielo e estando negociada com um P/L de 164x [2]

Conclusão

Eu ficaria de fora de qualquer empresa do setor de pagamentos por enquanto, a Cielo mostra que continuará brigando neste setor competitivo, porém se nada for feito, a tendência é ela continuar perdendo marketshare, obviamente não de forma acentuada e rápida, mas de forma lenta e gradual ao longo dos anos, conforme mais empresas entram neste setor.

Inclusive o Banco Inter é o mais recente player a integrar a guerra das maquininhas. [3]

A empresa não se mostra em situação financeira frágil, apesar da queda no lucro líquido, ela ainda dá lucro e tem uma liquidez corrente dentro da média, é investida do Banco do Brasil, por aí vai, não que a empresa vá quebrar, mas se ela manter as receitas estagnadas já é uma vitória.